© 2026 por Gabriel Kehdi 

Cobertura de gramados

Essa é uma prática comum. Mas vejo com frequência que ela acontece em momentos inadequados do ano, que pode prejudicar muito o gramado. Vamos falar sobre isso nesse artigo.

 

A cobertura do gramado, também chamada de condicionamento (o termo condicionamento é um tanto genérico), consiste na prática de cobrir o gramado com uma fina camada de substrato (também chamado de terra vegetal em alguns lugares). A ideia é que o substrato aplicado se acomode entre as folhas e rizomas do gramado para contribuir com alguns benefícios.

 

Muitos jardineiros usam a cobertura do gramado como forma de "fortalecer" a grama, mas a questão é mais profunda que isso. Primeiro, vou esclarecer uma dúvida comum para quem não tem intimidade com a jardinagem. Muita gente me pergunta: o que é substrato? Pois bem, substrato é um material que se parece com terra, mas sua composição é totalmente vegetal. Ele é feito, geralmente, de casca de pinus compostada com turfa de fibra de coco e, dependendo do fabricante, podem ter outros elementos adicionais. O substrato é rico em matéria orgânica, por ser de origem vegetal. Além de poder ser usado no cultivo de plantas, ele também contribui com liberação de nutrientes (justamente por conta da matéria orgânica).

 

BENEFÍCIOS DA COBERTURA DO GRAMADO

A cobertura do gramado contribui com:

1. Adição de matéria orgânica no solo

2. Adição de nutrientes

3. Contribui no enraizamento de grama estolonífero-rizomatoza

4. Contribui com o nivelamento do gramado (ao longo do tempo e da repetição anual do procedimento)

5. Reduz a velocidade de formação do colchão de palha (thatch)

6. Como a soma dos fatores anteriores, contribui com a regeneração do gramado após dormência de inverno

 

É importante ter em mente que a cobertura do gramado não faz milagres. A cobertura do gramado não vai ajudar muito se seu gramado apresentar: raleamento ou falhas por conta de compactação do solo; baixa fertilidade no solo; encharcamento contínuo; pragas e doenças.

 

Uma rápida constatação de como adicionar o substrato ao gramado em cobertura contribui com o desenvolvimento do gramado: certa vez fiz uma consultoria na casa de um cliente e recomendei cobrir os canteiros de solo exposto com substrato. O jardineiro procedeu conforme o recomendado, mas deixou um pouco de substrato cair sobre o gramado. Veja como ficou a grama nos locais em que houve deposição de substrato, após uma semana e meia, apenas. Bem mais verde.

 

QUANDO NÃO REALIZAR A COBERTURA DO GRAMADO

Quando eu digo que vejo com frequência a realização dessa prática em períodos inadequados do ano, é porque vejo ser feita no inverno.

 

São duas simples razões que tomo como base para desaconselhar a cobertura de gramado no inverno:

Período de dormência do gramado: No Brasil é comum plantarmos gramas de clima quente (esmeralda, bermudas, zeon), que entram em dormência com temperaturas noturnas abaixo de 17°C. Nesse período de dormência a grama cresce mais devagar, fica com aparência ressecada e não se regenera com tanta rapidez. Realizar a cobertura da grama nessas condições vai reduzir ainda mais o sol incidente sobre a grama, prejudicamento muito seu desenvolvimento que já é lento devido à temperatura. Já vi gramados secarem quase totalmente e demorarem para regenerar por conta da cobertura feita no inverno.

 

Doença causada por Rhizoctonia solani: No inverno é comum aparecerem manchas amareladas no gramado em forma de anéis. Essas manchas são sinais do fungo Rhizoctonia solani, que gosta de tempo frio, úmido e bastante nitrogênio. Quando fazemos a cobertura do gramado com substrato no período de inverno, adicionamos matéria orgânica, que é rica em nitrogênio. Quando fazemos isso estamos dando alimento para o fungo e atrapalhando o desenvolvimento da grama (pela razão apontada anteriormente). Esse fungo ocorre com maior frequência na grama esmeralda, e os reflexos da cobertura do solo no inverno podem demorar um ano para aparecer.

 

Foto: Rhizoctonia solani em grama esmeralda - Gabriel Kehdi

 

Vale a pena comentar: um colega me falou que em locais com geada se faz a cobertura no gramado no inverno como forma de proteger a grama contra os efeitos do frio. Como na cidade de São Paulo (e grande São Paulo) não faz geada (ou pelo menos quase não faz), não tenho muitos elementos para discutir o assunto. Ele justificou que é mais fácil recuperar o gramado atacado por Rhizoctonia do que danificado pela geada. Se vocês também usam esse recurso, me escrevam, eu adoraria saber mais do que é feito nas regiões de clima diferente.

 

Atualização: Uma colega me escreveu dizendo que um colega engenheiro agrônomo utiliza areia para realizar a cobertura do gramado. Essa prática é de fato muito realizada em gramados esportivos para fins de nivelamento e preenchimento de buracos após os jogos. Realizar a cobertura do gramado com areia realmente pode contribuir com a proteção da grama no inverno rigoroso (em caso de geada) sem correr o risco de adicionar nitrogênio para potencialmente alimentar o fungo Rhizoctonia solani.

 

QUANDO REALIZAR A COBERTURA DO GRAMADO

Considerando os pontos que falei, a melhor época para fazer a cobertura do gramado é na primavera ou verão. Assim a gente pega o gramado no seu melhor desenvolvimento, ele vai responder muito mais rapidamente ao tratamento.

 

COMO REALIZAR A COBERTURA DO GRAMADO

Vamos ao passo a passo da cobertura do gramado:

 

1. Espalhar uma camada fina de substrato sobre o gramado, como na foto ao lado. Após espalhar o substrato, é interessante deixar a distribuição homogênea com o uso de um rastelo, para deixar a cobertura bem espalhada.

 

 

 

 

 

 

 

 

2. Irrigar imediatamente após o serviço. Isso contribui com a penetração do substrato e faz com que atrapalhe menos a fotossíntese da grama, ajudando na regeneração.

 

 

 

 

 

 

 

 

IMPORTANTE: cuidado com a qualidade do substrato que for usado. Substratos de baixa qualidade que tenham sementes de plantas daninhas podem contribuir com a infestação do gramado.

 

Perceba que a aplicação do substrato não tem objetivo de soterrar a grama. É uma camada fina, uma quantidade estimada de 5kg de substrato por metro quadrado de gramado.

 

A cobertura de gramado é mais indicada para gramas estolonífero-rizomatozas, ou seja, esmeralda, bermudas e zeon, e é realizada uma vez por ano. Gramas estoloníferas como são carlos e santo agostinho podem se beneficiar de uma cobertura mais espaçada, como uma vez a cada dois anos.

 

Viu só como é fácil? Lembrando que essa é apenas UMA das práticas para deixar o gramado bonito.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

POSTS RECENTES

February 19, 2020

April 25, 2019

April 11, 2019

Please reload

Arquivo
Please reload