4 SINTOMAS MAIS COMUNS DE DEFICIÊNCIA NUTRICIONAL

Depois de visitar dezenas de jardins de clientes concluí que são 4 as deficiências nutricionais mais comuns nas plantas. Algumas em decorrência dos processos naturais de perdas dos nutrientes no solo, outras por conta do uso incorreto do calcário. Vamos um pouco mais a fundo neste tema.

Todo solo possui uma fertilidade natural, Essa fertilidade pode ser alta, média ou baixa. Na natureza existem ciclos de reposição de nutrientes, mas nos jardins muitas vezes esses ciclos são pouco expressivos. Quando isso acontece o solo acaba perdendo nutrientes, sendo que a lixiviação (processo de "lavagem" do solo pela infiltração da água) é o processo de maior intensidade.


A adubação é a prática de complementar a fertilidade do solo, devolvendo os nutrientes perdidos para esse reservatório natural. Quando deixamos de adubar o jardim, as plantas ficam sem nutrientes para extrair, e começam a manifestar sintomas de deficiência.


Vamos agora para os 4 sintomas mais comuns:

NITROGÊNIO: O nitrogênio é o elemento mais dinâmico no solo. Está muito associado com a decomposição da matéria orgânica e pode ser perdido rapidamente por lixiviação ou volatilização, além de ser requerido por muitos microrganismos no solo. O nitrogênio é também o nutriente mais exigido pelas plantas. Quando sua falta é severa, a planta passa a apresentar amarelamento das folhas velhas. Para corrigir o problema é necessário fazer ruma adubação orgânica e/ou uma adubação mineral.


FERRO: A deficiência em ferro é tipicamente induzida pelo uso incorreto do calcário. Aquela boa e velha tática do jardineiro de que todo plantio precisa de um "punhado" de calcário deve ser pensada com mais critério. Se o solo tiver pH acima de 6 e as plantas cultivadas forem exigentes em solo ácido, o ferro se tornará pouco disponível no solo. É um fenômeno químico que vemos mais profundamente quando estudamos fertilidade do solo. Quando o ferro de torna pouco disponível, as plantas não conseguem absorver o ferro na quantidade exigida e surge o sintoma da deficiência, que é marcado pelo amarelamento esbranquiçado das folhas jovens. Para corrigir esse problema é necessário abaixar um pouco o pH do solo, usando adubos a base de nitrogênio amoniacal, como uréia.


MANGANÊS: O manganês funciona da mesma forma que o ferro quando pensamos no uso incorreto do calcário, no pH do solo e na disponibilidade do nutriente. O sintoma é diferente, sendo marcado pela clorose (amarelamento) das folhas jovens, começando pelas bordas, mantendo as nervuras verdes.




POTÁSSIO: No ranking dos 4 sintomas de deficiência mais comuns no jardim o potássio vem em último lugar. Não é comum encontrar sintomas de deficiência deste nutriente, mas é relativamente frequente. O potássio é um nutriente facilmente perdido por lixiviação principalmente em solos arenosos. Não é tão dinâmico quanto o nitrogênio, mas o potássio é um macronutriente, ou seja, é exigido em grandes quantidades pelas plantas. Em muitos jardins a reposição natural deste nutriente é muito baixa. O sintoma da deficiência de potássio geralmente tem como característica um amarelamento com necrose na borda das folhas mais velhas das plantas. Cuidado para não confundir com doenças fúngicas ou bacterianas.


Fertilidade do solo e nutrição de plantas são disciplinas essenciais para o bom manejo do jardim. São detalhes que nos ajudam a compreender melhor os problemas das plantas no jardim e também nos dão as melhores práticas de solução.

POSTS RECENTES
jardinagem

AGRO PARA PAISAGISTAS

CURSO ON-LINE

APRENDA A IDENTIFICAR E SOLUCIONAR PROBLEMAS NO JARDIM

26%20-%20marca%20-%20simbolo%20-%20color

Gabriel Kehdi Paisagismo  |  CNPJ 33.852.896/0001-96

© 2026 por Gabriel Kehdi